Em BH, Caetano Veloso manifesta-se em favor da liberdade de expressão artística | Minas Gerais

Caetano Veloso visita exposição que gerou protestos em BH (Foto: Reprodução/TV Globo)Caetano Veloso visita exposição que gerou protestos em BH (Foto: Reprodução/TV Globo)

Caetano Veloso visita exposição que gerou protestos em BH (Foto: Reprodução/TV Globo)

Em passagem por Belo Horizonte, o cantor e compositor Caetano Veloso manifestou-se em favor da liberdade de expressão artística neste domingo (8). A crítica foi pontuada durante coletiva de imprensa que antecedeu a apresentação do músico na cidade.

O espetáculo de Veloso ocorre neste fim de semana, no Palácio das Artes, mesmo centro cultural que foi alvo de protestos na última quinta-feira (5) por causa da exposição “Faça Você Mesmo Sua Capela Sistina”, com obras de Pedro Moraleida, em cartaz na Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard.

A exposição que reúne esculturas, textos, radiografias, vinhetas musicais, desenhos e pinturas foi aberta ao público no dia 1º de setembro, e já atraiu um público de cerca de seis mil pessoas. A mostra tem imagens que relacionam símbolos cristãos e sexo.

Cantor Caetano durante passagem por Belo Horizonte (Foto: Mariah Soares/Fundação Cloves Salgado)Cantor Caetano durante passagem por Belo Horizonte (Foto: Mariah Soares/Fundação Cloves Salgado)

Cantor Caetano durante passagem por Belo Horizonte (Foto: Mariah Soares/Fundação Cloves Salgado)

Nas palavras de Caetano Veloso, não há nada de estranho ao que é a tradição das artes em nenhuma das exposições que foram discutidas e alvos de crítica no Brasil, recentemente. “Não há nada aqui que já não tenha sido feito na história da arte. Faz pensar em Basquiat, faz pensar em Hélio Oiticica na parte conteudística do trabalho dele, faz pensar no que vem acontecendo na arte desde o século XX”, afirmou.

Sobre os protestos da capital mineira, o músico revelou surpresa ao saber que um grupo se manifestou a favor da liberdade artística. “Neste caso, Belo Horizonte está de parabéns”, opinou.

A produtora Paula Lavigne estava no local e explicou que o projeto “#342 Artes”, contrário a “censura artística” e lançado nacionalmente neste domingo (8), vem na sequência de uma campanha feita na internet que pressionava deputados pela investigação de Temer, para o qual eram necessários 342 votos. isso o nome “#342Artes”.

A reunião que pensou a campanha começou em reunião feita na casa da artista. “É uma onda reacionária de invenção que arte tem crime. Arte não tem crime. Não existe classificação de idades para museus. Podemos discutir isso. É bom que a gente discuta isso. Mas daí você censurar uma exposição, é muito diferente”, defendeu Paula.

Reafirmando a fala de Caetano, Paula disse que Belo Horizonte começou um processo importante e “está na vanguarda”.

Evangélicos protestam contra exposição de Pedro Moraleida, em Belo Horizonte, na última quinta-feira (5) (Foto: Michele Marie/ G1 )Evangélicos protestam contra exposição de Pedro Moraleida, em Belo Horizonte, na última quinta-feira (5) (Foto: Michele Marie/ G1 )

Evangélicos protestam contra exposição de Pedro Moraleida, em Belo Horizonte, na última quinta-feira (5) (Foto: Michele Marie/ G1 )

Na semana passada, um grupo de manifestantes alegou que os mais de 130 trabalhos expostos no Palácio das Artes fazem com que crianças entrem em contato com pornografia e pedofilia. Os manifestantes chegaram a fechar a Avenida Afonso Pena, no centro de Belo Horizonte, por cerca de 40 minutos. Houve um princípio de confusão quando o grupo tentou impedir pessoas de visitarem a exposição.

Em resposta, o Palácio das Artes afirmou que a exposição “Faça Você Mesmo Sua Capela Sistina” é destinada a maiores de 18 anos. As crianças só têm acesso ao local se estiverem acompanhadas dos pais, diz o palácio.

Na mesma data, na seda da Funarte, na Região Leste da capital mineira, outro protesto foi registrado contra uma manifestação artística. A peça “Evangelho segundo Jesus, rainha do céu”, encenado pela atriz trans Renata Carvalho, foi alvo de um grupo de evangélicos.

De acordo com a assessoria do espetáculo, todos os ingressos foram vendidos.

“Evangelho segundo Jesus, rainha do céu” já havia sido exibido em Belo Horizonte em 2016. Já em Jundiaí, em SP, a peça chegou a ser censurada.

Na sexta-feira (6), um grupo de artistas também se manifestou em homenagem ao artista plástico Pedro Moraleida e em defesa da liberdade de expressão. Moraleida é autor das obras em cartaz na exposição exposição “Faça Você Mesmo Sua Capela Sistina”.

Eles se concentraram na entrada do Palácio das Artes, local que abriga a exposição.

Todos os Direitos Reservados a(o) criador(a) deste conteúdo. Acesse o link original.