Envergonhado com ano do São Paulo, Cueva projeta melhora

Embora o São Paulo tenha se livrado do rebaixamento inédito para a Série B do Campeonato Brasileiro, a sensação de dever cumprido dos jogadores mistura-se com uma certa insatisfação. Nesta terça-feira, em entrevista coletiva no CCT da Barra Funda, Christian Cueva, um dos principais nomes do elenco comandado por Dorival Jr, revelou sentir vergonha da difícil situação pela qual o clube do Morumbi atravessou nesta temporada.

“Não sei se é alívio. Para mim, pelo fato de estar em um time grande, eu sinto vergonha, porque o São Paulo merece estar brigando por um título, por uma Libertadores. Mas aconteceu esse ano e agora é questão de corrigir as coisas para o próximo ano e aí começarmos a pensar em outras coisas”, disse o peruano.

Passada a turbulência que abalou o São Paulo durante boa parte da temporada, os jogadores parecem ter refletido sobre o que não deu certo em 2017. Se no período em que Rogério Ceni esteve no comando técnico o time ficou marcado pelo fato de sofrer muitos gols, no segundo semestre, após a chegada de Dorival Jr, o Tricolor conseguiu cessar essa debilidade na zaga, fato que, na visão de Cueva, foi fundamental para que os atletas livrassem o clube de um vexame histórico.

“Sempre se falou que tomávamos muitos gols e sempre culparam a defesa. Eu penso que nunca temos que culpar a defesa e o goleiro, porque o futebol hoje em dia é defender com todos e atacar com todos. Acho que foi uma das coisas que corrigimos. Tomamos a consciência que a responsabilidade defensiva é de todos. A parte ofensiva é de todos também. Foi uma coisa que mudou e foi bom para nós. Poderíamos ter mantido uma estabilidade, brigar por torneios, títulos, mas creio que isso já passou”, comentou.

Mesmo com o ano abaixo das expectativas, o São Paulo ainda tem a oportunidade de se classificar para a Libertadores caso seus concorrentes diretos tropecem na última rodada do Brasileirão e Flamengo e Grêmio conquistem os títulos da Copa Sul-Americana e Libertadores, respectivamente. Para quem chegou a acreditar que o time não conseguiria sair do Z4, carimbar uma vaga para o torneio continental soa como algo surpreendente, e justamente por isso que Cueva garantiu sua torcida para os brasileiros nas decisões deste fim de ano.

“Torceria por qualquer um que possa nos dar a oportunidade de disputar a Libertadores, mas também não penso que a Sul-Americana é algo pequeno. Gostaria de disputar as duas competições internacionais, mas agora simplesmente temos que pensar em terminar bem o ano ganhando domingo, nos preparando para o ano que vem. Sabemos que estamos na Sul-Americana, um torneio importante. Gostaria de ser campeão com o São Paulo, independente do torneio’, concluiu.

Todos os Direitos Reservados a(o) criador(a) deste conteúdo. Acesse o link original.