Longa Duração: Hyundai Creta é só elogios até os 30.000 km

Com metade da jornada rumo aos 60.000 km superada, tanto o SUV quanto a rede Hyundai seguem discretos em nosso diário



29 nov 2017, 16h41

Antes da terceira revisão, pausa para descanso em Itu (SP) (Zeca Chaves/Quatro Rodas)

Antes de atingir os 30.000 km, comentamos sobre o marasmo – no bom sentido, claro – que é ter um Hyundai Creta. Nenhuma luz acende no painel, quase não surgem barulhos, tudo funciona corretamente. Uma tranquilidade de dar gosto.

Neste mês, por exemplo, não tivemos nenhuma ocorrência, além de uma parada programada para a terceira revisão e um pneu cortado por uma ponta de pedra.

Mas nosso Creta está na meia-vida: ao atingir 30.000 km, o SUV entrou na segunda metade do teste de Longa Duração – aos 60.000 km, o carro é completamente desmontado para análise dimensional e inspeção visual dos componentes.

Hyundai Creta em visita a Campos do Jordão – SP (Alexandre Battibugli/Quatro Rodas)

A terceira parada programada na rede foi feita na concessionária Andreta, em Indaiatuba (SP). Ao deixarmos o SUV, fizemos um único pedido: o de que fosse feito um ajuste nas portas, difíceis de fechar desde a compra, em junho.

Após um dia de serviço, a retirada. “Além da troca de lubrificante do motor, substituímos os filtros de óleo e de combustível e a correia de acessórios”, disse o atencioso técnico, entregando ainda o comprovante de diversas outras checagens.

“Do agendamento à retirada, esta foi a revisão mais atenciosa que já vi. Fizeram até a medição dos materiais de atrito dos freios, algo inédito na história do Longa”, disse o piloto de testes Eduardo Campilongo, que cuidou de todo o processo de manutenção do Creta.

Sobre a dificuldade de fechamento das portas, infelizmente a mesma resposta ouvida nas duas primeiras revisões: o alinhamento está perfeito e o fechamento ocorre como deveria.

O outro evento do mês foi a perda de um pneu. “Estava em uma via de cascalho, em baixa velocidade. Repentinamente, o pneu traseiro direito perdeu pressão. Desci, vi o rasgo e coloquei a roda de emergência no lugar”, conta Edu.

Para evitar que a diferença de quilometragem causasse desequilíbrio na estabilidade dinâmica, compramos um par de pneus novos e trocamos os dois do mesmo eixo. Instalados na loja Fins Pneus, custaram R$ 1.260. telefone, a concessionária Max Morumbi orçou por R$ 2.560.

Creta – 30.089 km

Consumo

  • No mês: 9,5 km/l com 36,2% de rodagem na cidade
  • Desde jun/17: 9,2 km/l com 26% de rodagem na cidade
  • Combustível: flex (gasolina)

Gastos no mês

  • Combustível: R$ 765
  • Revisão: R$ 606
  • Alinhamento: R$ 305
  • Pneus: 1.260

Ficha técnica

  • Versão: Prestige 2.0 16V
  • Motor: 4 cilindros, dianteiro, transv., 1.999 cm³, 16V, 166/156 cv a 5.600 rpm, 20,5/19,1 mkgf a 4.700 rpm
  • Câmbio: automático, 6 marchas
  • Combustível: flex (gasolina)
  • Seguro (perfil QUATRO RODAS): R$ 5.189

Todos os Direitos Reservados a(o) criador(a) deste conteúdo. Acesse o link original.