‘No Brasil, Deus está em tudo’, diz padre italiano no Círio de Nazaré

NAIEF HADDAD, ENVIADO ESPECIAL*
BELÉM, PA (FOLHAPRESS) – Com os pés enfaixados por conta da formação de calos, um homem magro e de pele muito clara andava absorto pelos corredores da Basílica de Nossa Senhora de Nazaré, no centro de Belém, no sábado (7).
Junto com um grupo de 25 pessoas, o padre italiano Davide d’Alessio, 47, havia caminhado 20 horas para chegar à capital paraense a fim de participar das festividades do Círio de Nazaré. Eles tinham vindo de Castanhal, a 68 km de Belém.
Formado pela Arquidiocese de Milão, D’Alessio vive em Castanhal há seis anos, período suficiente para deixar sua pronúncia do português com um sotaque quase imperceptível.
“Quando eu me preparava para vir ao Brasil, um outro padre italiano comentou que difícil não seria aprender uma nova língua, mas se sentir como um brasileiro. Nós, europeus, somos muito mais racionais”, disse D’Alessio.
“No Brasil, Deus está em tudo. Na Itália, existe o mundo real e o mundo espiritual. São universos que não se misturam.”
PRIMEIRA VEZ
Presente pela primeira vez no Círio de Nazaré, que recebe todo ano centenas de milhares de pessoas, o pároco demonstrava fascínio pelo modo como os romeiros em Belém expressam a sua fé. “As pessoas aqui têm uma percepção muito viva da santa. Me surpreende a força de uma fé que é bastante simples”, afirmou.
Ao comentar o impacto das festividades em torno de Nossa Senhora de Nazaré, que acontecem em Belém desde 1793, D’Alessio lembrou um trecho de música interpretada por Fafá de Belém. Em “Eu Sou de Lá”, ela canta: “Terá que vir pra ver com a alma o que o olhar não pode ver”.
A cantora de 61 anos, aliás, tem sido uma das atrações centrais do Círio nos últimos anos. Nessas ocasiões, ela se apresenta ao lado de músicos convidados em um palco montado na avenida Castilho França, por onde passam as procissões.
No sábado (7) e no domingo (8), o repertório dedicado aos romeiros reuniu canções de cunho religioso, como “Ave Maria”, “Nossa Senhora”, “Maria de Nazaré” e “Zouk da Naza”.
Naza é o modo como muitos moradores de Belém se referem à Nossa Senhora de Nazaré.
*Os jornalistas Naief Haddad e Bruno Santos viajaram a convite da Varanda de Nazaré.

Todos os Direitos Reservados a(o) criador(a) deste conteúdo. Acesse o link original.