Painel com 750 Raspberry Pi 3 torna acessível a computação de alto desempenho

Desenvolvedores de softwares para supercomputadores que requerem testes escaláveis podem ficar tranquilos, pois não precisarão mais gastar cerca de US$ 250 milhões para testar suas criações.

Essa tranquilidade se deu por uma invenção muito mais barata e com cara de gambiarra: um painel com 750 Raspberry Pi 3 espalhados em cinco módulos Pi Cluster foi desenvolvido pela BitScope em colaboração com o Laboratório Nacional Los Alamos, de responsabilidade do Departamento Nacional de Energia dos EUA.

Foto dos Cluster Pi usados para montar o painel com 750 Raspberry Pi 3

Gary Grider, líder da Divisão de Computação de Alto Desempenho do Laboratório Nacional de Los Alamos, após falar sobre a inviabilidade de manter máquinas supercaras para testes escaláveis, afirmou que “os módulos Raspberry Pi permitem que os desenvolvedores descubram como escrever o software e fazê-lo funcionar de forma confiável sem ter um teste dedicado do mesmo tamanho”.

Cada Raspberry Pi 3 é um minicomputador completo e autônomo e vem equipado com um processador quad-core, 1 GB de memória do sistema, rede cabeada e sem fio e algumas portas USB. Cada um dos cinco módulos Pi Cluster do painel é composto por 600 núcleos de processamento de dados, permitindo as operações de escalamento para testes de softwares de computação de alto desempenho.

No Brasil, o Raspberry Pi 3 é vendido, em média, por R$ 190 reais, cada. O painel poderia ser montado gastando menos de R$ 150 mil, o que é bem pouco se comparado aos US$ 250 milhões que seriam necessários para realizar os testes antes da inovação.

Fonte: Digital Trends

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.

Todos os Direitos Reservados a(o) criador(a) deste conteúdo. Acesse o link original.